10 lições para aprender a servir com alma

customer-service

Neste artigo você conhecerá dez lições para prestar um bom serviço de modo que seu cliente se sinta importante e lhe traga mais rentabilidade. Foi a pedido do professor Rodrigo Belli que meu amigo Neverton e eu Daniel tivemos a missão de apresentar o livro de Paulo Cesar Motta “Servindo com alma” para toda a classe. O autor  é Phd em assuntos de negócios e aborda de maneira lúdica o conceito de marketing pessoal e prestação de serviço. Segue dez lições que identificamos neste magnifico livro.

1- Prestar um mau serviço é um vício;

O autor após uma investida frustada no empreendedorismo detectou que prestava um mau serviço por isso não alcançou o sucesso. E notou que havia ficado especialista em varrer a sujeira para debaixo do tapete prestando um serviço de baixa qualidade.

2- Prestar serviço é como fazer um espetáculo;

Na prestação de algum serviço considere que você esteja apresentando um espetáculo e a sua plateia é o mercado que julgarão sua performance.

3- Neste espetáculo o cliente/usuário deve ser o protagonista;

O prestador de serviço jamais será a estrela, mas o cliente/usuário. O protagonista tem o papel principal e o prestador de serviço tem apenas um comportamento reativo ao cliente.

4- Nem sempre o que se transmite é o que se pretende transmitir;

Qual o tipo de serviço você oferece? Informática, educação, consultoria, imobiliários? Saiba que estes serviços só são percebidos pelo cliente pelas vias sensoriais e que é por esses sensores que o cliente tomará suas decisões. Por isso saiba transmitir com qualidade seu serviço.

5- Tenha em sua memória esquemas que lhe ajudarão responder ao protagonista;

Embora fale-se em o protagonista, mas é sabido que este cliente se manifesta em várias personalidades e tipos, por isso esteja sempre preparado para lidar com cada um deles. O script ajuda a você organizar suas ideias, mas sempre haverá um vácuo e caberá um improviso desde de que não seja uma constante.

6- Lembre-se, o cliente não sabe o que está em sua mente, por isso seja claro;

Como no espetáculo, a execução precisa ser a mais precisa possível, pois os conceitos, ideias e significados do serviço só alcançarão a mente do cliente se a sua apresentação for bem feita. De tal forma que não permita o cliente tirar conclusões equivocadas.

7- Preste seu serviço com o coração e não com bajulação;

Seja dedicado ao protagonista, não puxa-saco.

8- Fazer bem feito dói;

Para que o espetáculo seja perfeito é necessário que os ensaios e treinamentos aconteça de maneira exaustiva e intensa. Isso traz cansaço e muito sacrifício tudo em nome da perfeição.

9- Servir com sua alma é sua missão;

Não sirva ao cliente com desdém , mas mostre interesse pela causa do protagonista, interaja com ele.

10- Busque empatia não encantar o cliente;

A palavra chave da prestação de serviço é empatia o protagonista precisa se sentir a vontade com o prestador de serviço a ponto desse saber quais são as dores do cliente.

Daí concluímos que a analogia feita por Paulo César Motta é bem precisa no que diz respeito a compreensão do que venha a ser prestar um serviço de qualidade. Segue abaixo os slides da apresentação.

 

Texto: Daniel Júnior

Contribuição especial no trabalho Neverton Molinari.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>